ESG na gestão de condomínios: como aplicar

O termo ESG, em inglês – Environmental, Social and Governance, e, em português, Ambiental, Social e Governança, tem ganhado força no ambiente corporativo. Afinal, o planeta passa por intensas mudanças, motivando a adoção de boas práticas nestes quesitos. Assim como nas empresas, a aplicação do ESG na gestão de condomínios é fundamental

 Isso porque, mesmo sem a finalidade de lucro, os condomínios, cada vez maiores e mais tecnológicos, são administrados como empresas. Além da redução de custos, implementar um projeto que incentive a responsabilidade social, com ações sustentáveis e corretamente gerenciadas, traz qualidade de vida e promove a valorização patrimonial.

Que tal saber mais sobre o tema? Acompanhe a leitura e entenda como aplicar e quais os benefícios do ESG na gestão de condomínios

O que é ESG?

O ESG é um conjunto de padrões e boas práticas que visa definir se a operação de uma empresa é socialmente consciente, sustentável e corretamente gerenciada.

A sigla, em inglês, contempla os três pilares desse movimento:

  • Environmental (Ambiental): refere-se ao modo como a empresa faz uso de seus recursos naturais, como contribui para as mudanças climáticas e como usa a energia.
  • Social: examina a relação da empresa com seus funcionários, fornecedores e a comunidade onde atua, abordando aspectos de inclusão e diversidade, e se há o engajamento de todos os envolvidos.
  • Governance (governança): são políticas adotadas em relação às boas práticas de governança corporativa. Entram no tema, por exemplo, conduta corporativa, composição do conselho e sua independência, práticas anticorrupção, existência de canais de denúncias sobre casos de discriminação, assédio e corrupção, auditorias internas e externas, respeito a direitos de consumidores, fornecedores e investidores, transparência de dados, remuneração dos executivos, entre outros. 

Como surgiu o ESG?

A sigla ESG surgiu oficialmente em 2005, em uma conferência liderada por Kofi Annan, secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), que resultou em um relatório intitulado Who Cares Win, em tradução livre, “quem se importa ganha”.

O objetivo era unir instituições de vários países na busca por alternativas que envolvessem o tema no mercado financeiro. Ao todo, 20 instituições financeiras de 9 países, com ativos totais sob gestão de mais de US$ 6 trilhões, aceitaram o convite e a proposta.

Bastante comum no mercado internacional, o ESG também vem ganhando força no Brasil. Além do aspecto econômico-financeiro, do futuro do planeta e da sociedade, o tema também está relacionado à expectativa de um futuro positivo.

Como aplicar o ESG na gestão de condomínios?

O atual cenário indica que as práticas ESG serão cada vez mais reivindicadas e fiscalizadas pela sociedade, em todas as esferas. Conforme adquirem, gradativamente, responsabilidades semelhantes às empresas, os condomínios também deverão implantar práticas ambientais, sociais e de governança.

Os benefícios aliam redução de custos e de impactos socioambientais à boa reputação junto à comunidade, já que as mudanças observadas pelas unidades vizinhas servem como inspiração.

Um bom começo para aplicar o ESG na gestão de condomínios é fazer um diagnóstico do empreendimento e traçar objetivos e medidas que contemplem os três pilares. 

Cada condomínio tem suas necessidades e especificidades, mas, em geral, as ações mais comuns são:

Ambiental

O pilar ambiental é o que tem se mostrado mais avançado na maioria dos condomínios. Muitos já demonstram preocupação com o tema há anos e vêm dedicando tempo e recursos para projetos com foco em uma melhor relação com o meio ambiente. 

Veja alguns exemplos: 

  • Uso racional da água: equipamentos como torneiras e válvulas de descargas eficientes, controle do consumo de água por ambientes (áreas externas e internas, paisagismo, limpeza), reuso de água de chuva, hidrômetros individuais. Realizar campanhas para uso responsável da água.
  • Economia de energia: acompanhamento da performance dos sistemas e gerenciamento do consumo, uso de lâmpadas de LED com sensores de presença, aproveitamento da luz natural e uso de cores claras para iluminar ambientes, geração de energias renováveis, como a solar fotovoltaica.
  • Descarte correto de lixo: implantação da coleta seletiva, com separação adequada dos materiais orgânicos e recicláveis, coleta de óleo de cozinha, pilhas e baterias.

Outras possibilidades incluem hortas comunitárias, implantação de telhado verde, churrasqueira ecológica e até instalação de abastecimento para carros elétricos. 

Social

Quanto às práticas sociais, é preciso observar os funcionários e suas condições de trabalho:

  • Uso de EPIs (Equipamentos de Proteção Individual) adequados para cada atividade;
  • Incentivo ao aprendizado e troca de experiências;
  • Respeito às relações de trabalho e à diversidade;
  • Atenção às leis e aos direitos trabalhistas;
  • Melhores condições salariais. 

Um condomínio que valoriza o pilar social precisa avaliar não apenas as condições de trabalho, mas também quanto à qualidade de vida, segurança e bem-estar de seus colaboradores.

Governança

Aplicar o ESG na gestão de condomínios, no que diz respeito ao pilar da governança, envolve algumas ações importantes:

  • Prestação de contas ética e transparente, observando a satisfação e o entendimento dos condôminos quanto às finanças do condomínio. 
  • Conselho consultivo participativo e independente.
  • Organização de assembleias produtivas.
  • Criação e manutenção de canais de comunicação eficientes com os condôminos.
  • Valorização patrimonial, com as devidas manutenções preventivas e corretivas, conforme as normas e leis.

A auditoria condominial também pode ser instrumento para avaliar a atuação dos gestores na administração do condomínio, dando maior tranquilidade aos condôminos.

E então, o que achou do ESG na gestão de condomínios? Condomínios comerciais e corporativos já adotam sistemas de gestão profissionais e qualificados há mais tempo. Mas, nada impede que condomínios residenciais também sejam administrados de forma eficiente, acompanhando todas essas tendências.

Gostou deste conteúdo? Para ler mais artigos como este, acesse o nosso blog.

X