Como cortar custos do condomínio de forma inteligente

Para proporcionar conforto, bem-estar e segurança aos condôminos, é preciso que o síndico faça também uma boa gestão financeira. Afinal, muitas vezes é preciso encontrar formas de cortar custos do condomínio para que as despesas caibam no orçamento sem gerar aumento na cota para os condôminos. 

Este é um tema que dificilmente sai da pauta dos gestores, já que não é nada fácil encontrar maneiras de diminuir gastos em um país com uma carga tributária relativamente alta.

Geralmente, a divisão dos custos de um condomínio contempla: 

  • 40% a 50% para despesas de folha de pagamento, como salários de funcionários e encargos trabalhistas;
  • 20% a 30% são gastos com consumo de água, luz, gás, telefone;
  • 15% vão para contratos de manutenção, elevadores, bombas e seguros;
  • 10% são destinados às despesas administrativas, bancárias, fundos de reserva e pequenos reparos.

No conteúdo de hoje, falaremos sobre algumas dicas e informações importantes que podem te ajudar a traçar estratégias eficazes na hora de cortar custos do condomínio

Pronto para economizar? Desejamos uma excelente leitura! 

Avalie contratos com fornecedores

Para começar a cortar custos do condomínio, é fundamental avaliar com atenção os contratos com fornecedores e prestadores de serviços

Se o caso for contratar, o gestor deve fazer uma ampla pesquisa de preços, sem descuidar da qualidade. Já quando o condomínio tem contratos firmados, vale a pena negociar descontos e até mesmo readequar suas demandas.

Para isso, analise se o valor pago é justo. Você pode tentar descobrir quanto outros síndicos pagam pelo mesmo produto ou serviço, ou ainda, qual o preço cobrado por outros fornecedores. Reúna informações relevantes e converse com o seu fornecedor. 

Lembre-se que a chave para boas negociações é manter um bom relacionamento, aberto ao diálogo e à transparência. Isso envolve respeitar as particularidades de cada fornecedor e defender os interesses do seu condomínio.

Invista na capacitação dos colaboradores

Investir na capacitação dos funcionários é outra estratégia importante para cortar custos do condomínio

É possível oferecer treinamentos para tornar as manutenções mais assertivas, ou ainda, para incentivar a economia de produtos, insumos, água e energia elétrica, por exemplo. 

Uma boa dica é verificar a possibilidade de obter cursos gratuitos com os próprios fornecedores, sindicatos das categorias e portais relacionados ao mercado condominial. 

Além de economizar, capacitar a sua equipe agrega valor aos profissionais e contribui para a retenção de talentos. 

Retenha talentos

Assim como acontece em uma empresa, reter talentos significa manter e engajar bons profissionais na equipe do condomínio

Isso é fundamental para cortar custos do condomínio e diminuir a rotatividade de funcionários, com menos demissões e desligamentos

Afinal, o empreendimento perde no aspecto financeiro e também no produtivo, já que as demandas atribuídas a este colaborador ficam paradas até que seja feita uma nova contratação. 

Elabore um calendário de manutenções preventivas 

As manutenções preventivas ajudam a garantir a segurança e o bem-estar dos condôminos e também contribuem para cortar custos do condomínio, já que é sempre mais barato prevenir algum problema do que remediá-lo. 

Elaborar um calendário para esses reparos também permite que o gestor organize o caixa do condomínio para essas demandas, sem a necessidade de aumentar a cota condominial. 

Também é importante lembrar que as manutenções preventivas evitam problemas futuros para o síndico. Como representante legal, o gestor é quem responde pelo condomínio em caso de processos judiciais.  

Terceirize serviços

A terceirização de alguns serviços também pode ser considerada na hora de buscar estratégias para cortar custos do condomínio

Despesas como 13º, férias, horas extras, uniformes, treinamentos e outras ficam a cargo da empresa contratada para a terceirização.

O único valor que você precisará pagar é o custo do contrato com a empresa terceirizada

De toda forma, cabe ressaltar que alguns cuidados são fundamentais mesmo nesse tipo de contratação. Por isso, o síndico precisa fazer uma análise minuciosa a respeito da empresa terceirizada. 

Veja alguns detalhes que merecem atenção: Leis trabalhistas para funcionários de condomínio: saiba o que observar 

Invista em tecnologia

Na gestão de condomínios, os aspectos mais importantes são a segurança, a comunicação, a sustentabilidade e a transparência, concorda? 

O investimento em tecnologia para otimizar esses pontos melhoram a prestação de contas, o controle de acesso, o engajamento dos condôminos e ainda contribui para cortar custos do condomínio.

Veja algumas boas práticas:

  • Portaria remota e controle de acesso
  • Software de gestão 
  • Aplicativo de condomínio 
  • Assembleias virtuais 
  • Soluções de sustentabilidade

Qualificar as rotinas permite aumentar a satisfação dos condôminos, simplificar a gestão, reduzir custos, e ainda, agregar valor ao patrimônio. 

Gostou das nossas dicas? Então, compartilhe esse artigo nas suas redes sociais e coloque em prática aí no seu condomínio! E, se deseja conhecer outras estratégias para economizar, acesse: 4 estratégias de economia para aplicar na sua gestão financeira condominial.

Para ler outros conteúdos como este, continue acompanhando o nosso blog.  

X